Acesse nossa Plataforma

Empresas baseadas em APIs como produtos precisam elaborar estratégias eficientes para monetizar suas APIs e gerar receita para o negócio. Nós já falamos sobre empresas baseadas em APIs como produto aqui em nosso blog. O nosso CEO, Thiago Lima, também já comentou sobre como gerar receita por meio das APIs aqui neste post. Embora existam algumas opções gratuitas, as APIs devem ser sustentáveis e podem gerar um retorno financeiro direto para o negócio.

A geração de receita é um componente significativo para qualquer negócio e as APIs são fundamentais para isso. Existem estratégias de geração de receita direta e indireta. As receitas diretas de APIs são quando as APIs geram fonte de receita pelo seu consumo direto. Já as receitas indiretas, são quando as APIs geram valor ao negócio como conexão com aplicativos terceiros, valor de marketing, acesso a dados relevantes etc.

Venha conosco e confira cinco maneiras diferentes de monetizar suas APIs e alguns exemplos de produtos de APIs.

1. Cobrança por chamadas de APIs (Pay-as-you-go)

A cobrança por chamadas das APIs é o método de monetização mais direto. Esse modelo monetiza as próprias chamadas de API, transformando a API em um produto que pode ser vendido e medido. Esse modelo de pagamento por chamada pode ser lucrativo, mas tem a desvantagem de ser um tanto restritivo para novos usuários.

Sem uma opção freemium, a cobrança direta torna difícil para um produto de API obter sucesso inicial. Os produtos precisam de uma massa crítica de usuários antes de se tornarem “bem-sucedidos”, e essa massa crítica costuma ser a fonte de um novo crescimento. Nesse modelo, as APIs são exclusivas, pois a adoção de qualquer API de terceiros é um risco para o consumidor desenvolvedor.

A cobrança por chamada é talvez o mais impactante desses modelos. Ele é altamente lucrativo, mas possuem dificuldades para traírem novos usuários, por isso os gerentes de produto devem empregar simultaneamente outros métodos de geração receita de suas APIs.

2. Modelo Freemium

Esse modelo, que é bastante conhecido no mercado de softwares não é focado na conversão total do usuário em valor. Em vez disso, ele visa usuários pagos específicos para que esses usuários pagos subsidiem os usuários gratuitos e, para que os gratuitos se tornem pagos no futuro.

Monetização de APIs - Modelo Freemium

Em um esquema freemium, os usuários gratuitos têm permissão para acessar versões “lite” da funcionalidade principal. Muitas APIs freemium concedem acesso aberto, mas incluem limitação de acesso, recursos e funcionalidades. Funções complexas e o levantamento de restrições, no entanto, são reservados para clientes pagos.

Os modelos Freemium permitem que os produtos de APIs construam uma massa de usuários de forma mais eficaz, sem perder usuários em potencial. Os adotantes estão mais dispostos a aceitar o risco de utilizar uma nova API se essa incursão tiver custo zero fora de seu próprio tempo. A esperança é que eles eventualmente se convertam para um nível de pagamento mais alto.

A desvantagem dos modelos freemium é que eles devem equilibrar cuidadosamente o fornecimento de serviços gratuitos com a geração de receita. Portanto, encontrar o equilíbrio certo entre oferecer serviços gratuitos para atrair novos usuários e fazer uma cobrança alta pelo acesso deve ser cuidadosamente pensado.

3. Planos Corporativos (B2B)

Muitos produtos de API não buscam monetizar usuários individuais, mas sim monetizar organizações inteiras. Esse esquema de B2B é frequentemente conhecido por outro nome - precificação corporativa.

Monetização de APIs - Planos Corporativos

As contas corporativas podem utilizar chamadas que demandam muito da API e requerem alta demanda de recursos . Esses cenários são mais caros do que os usuários que só podem emitir uma única chamada a cada período de uso. Assim, o modo mais equitativo e lucrativo de monetização é transferir essa despesa para usuários corporativos para subsidiar os usuários gratuitos.

Os produtos de APIs geralmente incluem planos empresariais em modelos de preços em camadas (Freemium, Basic, Startup, Premium, Business, Enterprise, etc.). Quando se trata de experiência do usuário e monetização, os planos em camadas podem oferecer o melhor dos dois mundos. As empresas têm mais tolerância para modelos de preços, pois estão acostumadas a pagar por serviços de tecnologia.

4. Upsell

Em um modelo de upsell, o uso da API é posicionado como um bônus ao vender uma plataforma mais abrangente. Nesse cenário, a integração normalmente complementa uma experiência central. Um aplicativo SaaS pode oferecer uma conta básica que concede acesso a uma interface da web - o aplicativo principal. Ainda assim, a conta deve ser atualizada para uma camada premium para exportar dados do aplicativo com uma API REST.

Um modelo de upsell difere da ideia de cobrança por chamada porque a API de upsell em si não é um produto independente. Em vez disso, a API, ou talvez uma versão mais avançada da API, é bloqueada apenas para utilização B2B. Faz parte de um pacote.Embora pareça um modelo freemium com outro nome, a diferença é que, nos modelos freemium, o “upsell” abre acesso a recursos adicionais em vez de evitar restrições artificiais na API principal.

O perigo de um upsell de API é que muitas vezes pode ser enganoso o que, exatamente, é permitido para um usuário não premium. O acesso à API aberta é quase uma expectativa atualmente, especialmente para serviços SaaS pagos. Perceber que a integração da API está bloqueada por trás de um sistema labiríntico de atualizações pode causar frustração para os desenvolvedores. Se adotar um modelo de upsell, os provedores de SaaS devem fazê-lo com cuidado e comunicar esses termos de maneira transparente.

Implemente a sua estratégia de monetização de APIs

A monetização de uma API pode ter tanto impacto na integração do desenvolvedor quanto a descoberta do serviço, usabilidade e iniciativas de marketing. Uma estratégia de monetização mal projetada pode gerar receita significativa no curto prazo, mas limitar a base de usuários antes de sustentar o crescimento de longo prazo. As empresas que sabem como implementar uma boa estratégia de APIs, elas podem cortar custos, melhorar a eficiência e ajudar nos resultados financeiros.

Muitas vezes, fazer implementar a estratégia sem ferramentas de criação e gestão de APIs pode dificultar ainda mais a geração de receita. Para implementar estratégias de APIs eficientes é bastante recomendado utilizar plataformas de gestão de APIs, ou API Management, onde é possível configurar sua monetização de forma rápida e fácil.

API Management - Gestão de APIs

A forma como um provedor de API escolhe monetizar depende de uma variedade de fatores, incluindo o custo total de execução de um produto de API. Cada provedor deve considerar as opções de receita acima como ferramentas úteis para criar a implementação perfeita.

Conte com uma plataforma de Gestão de APIs para criar e implementar estratégias de monetização de APIs eficientes com total controle dos logs, governança, monitoramento e políticas de acesso claras e objetivas.

Agende uma conversa e saiba como podemos te ajudar