Escolha uma Página

Blog LinkApi

A Economia das Plataformas Digitais e APIs: Artigo 3

Técnico

Como lançar e expandir a sua plataforma digital

Chegamos a última parte da série sobre plataformas digitais e APIs.

Nessa série você já aprendeu sobre a nova economia das plataformas digitais e APIs, e também como desenhar a sua estratégia utilizando as melhores práticas desse modelo.

Então nesse artigo vamos aprender como lançar e expandir a sua plataforma digital.

PS: Para que você entenda esse conteúdo, é importante a leitura dos dois primeiros artigos da série.

Entendendo o dilema das plataformas digitais: o ovo e a galinha

Uma característica padrão do modelo, é que as plataformas digitais funcionam através de two-sided network, ou seja, conectando através de uma rede dois ou mais grupos distintos de usuários, geralmente produtores e consumidores.

Pela ótica otimista, esse é um dos conceitos chaves e é o que faz o modelo escalar e criar tanto valor ao mercado mas o que muita gente esquece é que o maior desafio de uma plataforma é criar a sua rede.

Pensem no IFood, por exemplo, o que seria dele sem os restaurantes? Ou, o que seria dele sem os consumidores finais? Como também, o Youtube, o que seria dele sem os Youtubers produzindo conteúdos, ou, o que seria do Youtube sem os usuários que visualizam e interagem com os vídeos?

A resposta provável seria nada, pois ambos não entregariam valor!

Lembrem-se que o valor de uma plataforma está em sua rede e na interação promovida por ela…

Logo, plataformas digitais bem sucedidas precisam dos dois lados da rede construídos.

Dado esse cenário, você deve estar se perguntando, por qual lado da rede eu começo: produtores ou consumidores?

Para solucionar esse dilema, existem estratégias interessantes que podem te ajudar.

Por isso, fiz uma lista das principais estratégias, e uma análise dos seus respectivos prós e contras para que você escolha a melhor para o seu contexto.

1. The follow-the-rabbit strategy

Crie um negócio que atraia uma grande audiência de usuários e depois transforme em plataforma. (A Magazine Luiza e a Amazon, por exemplo, começaram como um negócio tradicional e depois se transformaram em plataformas digitais, abrindo seus ecossistemas para sellers externos.)

Indo para o mercado SaaS (Software as a service), podemos ver o case da Salesforce, que nasceu como um produto de CRM, e conquistou uma grande base de clientes.

Depois desse sucesso, migrou para o modelo de plataforma, possibilitando que diversas aplicações fossem criadas por terceiros conectadas ao seu produto, e hoje 60% da sua receita vem do seu modelo de APIs e plataformas digitais.

Prós

Maturidade: Você precisa já ter dado certo em um modelo tradicional, por isso, ao lançar a plataforma, você terá maturidade e insumos suficientes para fazer a sua plataforma ter sucesso.

Eficiência de capital: Como você já criou a sua audiência, o seu custo de aquisição tende a ser menor.

Contras

Timing: O tempo de fazer um modelo tradicional dar certo pode ser longo, e talvez possa nunca acontecer.

O caso do WhatsApp, por exemplo, que nasceu como produto de conversação e tentou inúmeras vezes tornar-se uma plataforma, mas não conseguiram até hoje, e um dos motivos foi que eles perderam o timing do mercado. Por outro lado, o WeChat na China nasceu como plataforma e hoje tem mais de 10 milhões de apps no seu ecossistema. Os Chineses usam o WeChat para tudo no dia a dia, desde pagamentos, agendamento médico, divórcios, e muito mais.

2. The piggy-back strategy

Conecte-se a uma base de usuários de uma grande plataforma existente, por exemplo, no início o PayPal utilizou o ebay como plataforma, e com isso criou sua base de clientes rapidamente. Outro caso similar foi o do Airbnb, antes de criar sua própria plataforma, eles publicavam as disponibilidades de quartos no Craiglist.

Prós

Velocidade na construção de rede: Se você conseguir ser efetivo na parceria com uma plataforma existente, você terá uma construção de rede em uma velocidade impressionante.

Contras

Dependência e dificuldade de migração: Você corre o risco de não conseguir migrar essa rede construída para a sua futura plataforma.

Conclusão: Tem mais

Além destas duas, existem mais 8 estratégias já utilizadas por grandes players de mercado! Você pode ter acesso a todas elas, além do conteúdo completo deste e de todos os 3 artigos anteriores desta série sobre a Economia das plataformas de forma ainda mais detalhada no guia que montei, aonde mostro todo o conhecimento estratégico necessário para a implementação de uma plataforma digital, tanto para negócios que querem fazer a transição para este modelo, ou que ainda vão começar o processo do zero.

Neste material você vai ver:

– Como funciona a Economia das Plataformas Digitais e APIs por completo
– Como desenhar a estratégia de uma plataforma digital
– Como lançar e expandir a sua plataforma digital

Entenda como inserir sua empresa na economia das plataformas e APIs:

Thiago Lima

Thiago Lima é o CEO e fundador da LinkApi. Programador desde os 12 anos e empreendedor desde os 17, é referência no assunto de APIs e Integrações, carreiras para desenvolvedores e empreendedorismo.

O melhor sobre APIs e Integrações no seu inbox

Fique por dentro das novidades e melhores práticas

Compartilhe

Resolva seus desafios de integrações

Revolucione seus projetos e negócios

Conteúdos Relacionados

Share via
Copy link
Powered by Social Snap